coaching EXECUTIVO

Trata-se de um conjunto de atividades baseadas em relacionamentos que envolvem o coachee, isto é, o executivo sujeito ao programa, seu coach e a empresa na qual o executivo atua, cujo objetivo é aumentar a capacitação do executivo e sua habilidade em ajudar a empresa a alcançar metas de curto e longo prazo.

 

Busca-se no coaching executivo o desenvolvimento da capacidade de liderança do coachee, isto é, sua capacidade de influenciar, motivar e conduzir com sucesso equipes na direção estratégica estabelecida pela organização.

Nossa prática enfatiza o desenvolvimento de competências e habilidades executivas, implicando em novas maneiras de pensar, sentir, agir, aprender e se relacionar com outros visando maior eficiência e eficácia individual e organizacional.

São os pilares fundamentais da nossa prática:

  • Consciência e Responsabilidade: a essência do coaching está na construção de uma consciência mais profunda por parte do cliente daquilo que se passa ao seu redor e daquilo que está vivenciando, bem como na sua tomada de responsabilidade e propriedade pelos seus pensamentos, escolhas e ações;

  • Mudança: um processo de coaching só ocorre quando há um desejo genuíno de mudança por parte do cliente - não havendo vontade de mudar, seja o que fôr e por qual razão, não há coaching. O coaching ajuda a aumentar a consciência sobre a importância de adquirir novos comportamentos para a construção do futuro que o cliente deseja ter. O coach atua de forma pró-ativa, colocando o futuro como foco, lidando com o pensar, o sentir e o fazer do cliente, considerando seu momento e provocando reflexões, o que possibilita ao cliente chegar às suas respostas e transformar sua ação. Adultos aprendem frente a necessidades reais e por essa razão é fundamental que o cliente acredite verdadeira e profundamente que a competência sendo trabalhada vai ajudá-lo em seu desempenho profissional;

  • O papel do coach: o coach apoia o cliente a identificar novas perspectivas a respeito da sua realidade de forma criativa, buscando a descoberta de novas possibilidades para respostas e portanto de mudança dessa realidade. Para isto, o coach questiona o cliente, o desafia e mesmo o confronta quando apropriado e permanece o tempo todo ao seu lado, dando apoio e suporte;

  • Enfoque sobre competências: a ênfase é dada ao desenvolvimento de competências ligadas à atuação profissional e na mudança de comportamentos observáveis. O trabalho considera o comportamento que é apresentado como ponto de partida para as reflexões e mudanças. Assim, parte-se do que é percebido pelos stakeholders do cliente, evitando-se ao máximo qualquer subjetividade que possa levar a diferentes interpretações, inferências e percepções distorcidas;

  • Ação e aprendizado: coaching implica em aprendizado, que se dá através de quatro estágios subsequentes. O primeiro deles é a incompetência inconsciente, onde o desempenho é baixo e não existe entendimento da situação. O estágio seguinte implica na obtenção de consciência sobre a incompetência; nesse estágio, o desempenho ainda é baixo, mas ocorre o reconhecimento sobre oportunidades de desenvolvimento. No terceiro estágio, um determinado nível de competência é atingido de forma consciente e, assim, ocorre melhoria no desempenho, que é obtido com algum esforço. No quarto e último estágio, que é a obtenção da competência inconsciente, o desempenho é elevado, sendo natural, integrado e automático.

Coaching funciona!

O ICF Global Coaching Client Study de 2012 revela que a maioria dos clientes de coaching relatam melhoria no seu desempenho profissional, melhor capacitação em gestão de negócios, maior eficiência na administração do tempo, aumento da eficácia na gestão de equipes e muito mais crescimento e oportunidades. O mesmo estudo descobriu que os clientes de coaching conquistam maior auto-confiança, relacionamentos melhorados, mais habilidades de comunicação eficaz, melhor equilíbrio entre trabalho e vida e uma melhoria no bem-estar. Quase 70 por cento dos indivíduos indicam ter obtido retorno de pelo menos seu investimento inicial. O estudo sugere que o ROI (Return On Investment) de um projeto de coaching, em média, supera facilmente três vezes o valor investido.

De acordo com o mesmo relatório, 86 por cento das empresas dizem ter, no mínimo, obtido seu investimento de volta. Quase um quinto (19 por cento) obteve um ROI de 50 vezes o seu investimento, enquanto outros 28 por cento atingiram um ROI de 10 a 49 vezes o investimento. Quase todas as empresas ou pessoas que contratam um coach estão satisfeitas. De acordo com o ICF Global Coaching Client Study, impressionantes 99 por cento das pessoas entrevistadas dizem estar satisfeitas com a experiência geral do coaching. Para saber mais, visite o Portal de Pesquisa da ICF.

 

A neurociência vem comprovando muita coisa empiricamente já conhecida na prática do coaching. Destacamos quatro aspectos:

  • Coaching ajuda a criar conexões neurológicas positivas, o que suporta mudanças sustentáveis e duradouras;

  • Coaching e agir no "modo coach" tende a levar as pessoas a um estado no qual seus cérebros ficam mais abertos para aprendizado e crescimento;

  • As ferramentas do coaching profissional vem sendo cientificamente comprovadas na redução do stress, o que, por sua vez, leva a um tipo de pensamento mais evoluído, mais sofisticado e a inteligência emocional, empatia e criatividade;

  • Coaching ajuda na construção de conexões críticas entre várias partes do cérebro e um cérebro melhor integrado está diretamente correlacionado com um maior grau de sucesso em liderança e na vida de forma geral.

Coaching works 4u

São Paulo, SP, Brasil

"Até que você torne o inconsciente consciente, ele dominará sua vida e você chamará isto de destino. "(C.G. Jung) 

© 2023 by CW4U